Pedaços

Ele havia mencionado que "o tempo fechou" em sua casa, depois falaria sobre isso. Não falou porra nenhuma e simplesmente sumiu. Cinco dias sem notícia.

Ela ficou preocupada. Escreveu perguntando se estava tudo bem por lá. "Por aqui, o tempo fechou também", ela brincou no email, mas em termos de clima, "está chovendo desde domingo". E acrescentou, de puro charme: "Mas é normal, já reparei que todo ano, onde quer que eu esteja, sempre chove nos dias 21 e 22 de novembro".

Isso era verdade, não charme. Não pergunte porquê nem diga que é coincidência.
Sempre chove no aniversário de André Gide, e um dia antes dele.
Isto porque Gide abre Sagitário, enquanto ela encerra Escorpião.

Sempre lhe acontece também: uma crise de coluna que, inexplicavelmente, termina em vômito. Também não pergunte porquê. Vai que ela está ainda ligada à Terra - que coisa lenta, não? - e precisa de purificação.

Já está tão acostumada com a dor de coluna dia 21 de novembro que cansou de comentá-la. Aliás, nem comentava mais da chuva. De repente, comentou com ele por distração.

Deitou achando que podia haver uma mudança, mudança tão significativa que a transformaria naquelas pessoas elegantes que jamais reclamam nem contam seus problemas pros outros, suportam tudo com um sorriso nos lábios.

Acordou e percebeu: nunca ocorre a mudança. As pessoas elegantes continuam a povoar a mente, distantes, acenando, do outro lado da pista.

O dia todo apenas aquilo: nenhuma notícia dele, a chuva e a dor de coluna.
Tomou um cataflan.
Depois vomitou.
No fim do dia a dor passava, assim como o mal-estar e a chuva.

Mandou outro email. Nenhuma resposta.

Dormiu e sonhou com uma coisa engraçada: ele, com aquela sua mania de listas, propôs uma lista das 10 coisas que mais a afastavam de seu cantor preferido e as 10 que mais a aproximvam dele. No sonho, ela não levava a sério, dava gargalhadas, fazia a lista e achava tudo absurdo.

Acredita que as coisas vão ficando na cabeça acumuladas e depois viram sonhos por ordem de entrada.
O mais estranho é que na lista das 10 coisas que a afastavam Dele estava:
a) Ele não gosta de sexo;
b) Ele é excessivamente europeu;
c) Ele dá declarações irresponsáveis, às vezes.

Na lista das coisas que a aproximavam, estavam:
a) Ele não gosta de sexo;
b) Ele é excessivamente europeu;
c) Ele dá declarações irresponsáveis, às vezes.

Achou graça: então, tudo que aproximava Dele também a afastava?

Pensou em gravar um cd com suas músicas preferidas para um dia de chuva. Ele iria aprovar a idéia. Mas, olhando pela janela, veio o envelhecimento: parou de chover. A dor de coluna voltava. E não havia um email dele na caixa.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vim ver o Roberto, cara!

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III