Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012
Imagem
INVAGINAÇÕES

A distensão
do teu do amor sóbrio
ópio e deglutição
ginasianos
frutíferos corpos
dão-se ao anoitecer
conto apenas 15 anos
nada sei de Maiakovski
nem de revolução.

(poeminha escrito na adolescência, quando ainda vivia em Bom Jesus da Lapa)
(na foto, surrupiada da internet, Bom Jeusus da Lapa outroramente)
Imagem
(Maria Clara quer pisar nos raios de sol; foto by João Filho)

Das utopias


Se as coisas são inatingíveis... ora!
não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
a mágica presença das estrelas!

(Mário Quintana)
Imagem
[...]
O poço-pergunta muitas vezes é perder-se.
Eis o labor que nos foi dado – crer.
Da falta de fé erguer nosso muro
de enfado e desistência?
Não foste o único e
nem será o último, quando chegaste
a urbe já estava erguida, e não se queixe,
ainda restam bons usos,
aí tem o primário para o mínimo,
entre ceia e manhã
o seu curso.
(João Filho)

Escritores baianos serão publicados em antologia alemã

Dois autores da Casarão do Verbo terão seus trabalhos traduzidos e lançados durante a Feira de Frankfurt, maior evento do mercado editorial do mundo



Em 2013, o Brasil será o país homenageado em território germânico e dois escritores da Bahia já têm presença certa no país de Goethe. Állex Leilla e Tom Correia, ambos da editora baiana Casarão do Verbo, estarão entre os 27 autores brasileiros convidados para uma antologia organizada pela tradutora e brasilianista Marlen Eckel. A ideia, segundo Eckel, é publicar um livro de crônicas e contos de autores que retrate a literatura nacional contemporânea de uma forma ampla e eclética. O volume será lançado em outubro do ano que vem pela editora Lettrétage, sediada em Berlim, durante a Feira de Livros de Frankfurt, uma das mais importantes do mundo.


Apesar de já ter sido traduzida em italiano e espanhol, para a doutora em Literatura Comparada (Universidade Estadual de Feira de Santana) e autora de “Primavera nos ossos”, Állex Leilla, a novidad…