Coisas de Renato Pedrecal Jr.


Renato no Facebook, hoje há pouco:
Considere a seguinte situação: Você está em uma sala totalmente fechada onde há duas portas, sendo que uma delas leva à liberdade e a outra leva à morte. Cada porta é vigiada por um guarda, sendo que um deles sempre mente e o outro sempre diz a verdade. Os guardas se conhecem um ao outro, mas você não tem a mínima ideia de qual é a porta certa e nem qual dos guardas é o mentiroso ou o que diz a verdade. Você tem direito a fazer uma única pergunta a um deles, e obter uma única resposta. Que pergunta você faria pra escolher, sem qualquer sombra de dúvida, a porta da liberdade, e como você faz a escolha?

Isso me lembrou aquele conto de Kakfa em que o sujeito fica a vida inteira diante de uma porta, que está protegida por um guarda. Ele espera um dia ser chamado (ou atendido, não sei bem!). No fim da vida, pergunta ao guarda por que nunca foi chamado, ou por que a porta não abre (agora não me lembro bem!). O guarda diz que a porta só podia ser aberta pra ele e se ele pedisse (mandasse?). Infelizmente, o sujeito não teve tal ideia!

Minha resposta:

Tanto faz: a morte liberta e a liberdade humana nos leva à morte (caminho natural de quem está vivo). Escolha qualquer porta, pergunte qual dos guardas toma um Jim Bean contigo, prefira sem gelo, bata na madeira e vá!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte II