Supremo faz audiência para discutir polêmica sobre racismo na obra de Monteiro Lobato
http://educacao.uol.com.br/noticias/2012/09/08/supremo-faz-audiencia-para-discutir-polemica-sobre-racismo-na-obra-de-monteiro-lobato.htm?cmpid=cfb-educacao-news&fb_action_types=og.recommends&fb_source=other_multiline

Deveriam se reunir pra discutir Machado de Assis também, ora, ele era machista, totalmente contra as mulheres, um desserviço à causa. E Lima Barreto? Um traidor do movimento, sua visão do afrodescentente é contrangedora. Aliás, todo o cânone brasileiro, pra que precisamos de cânone, gente? Jorge Amado é um horror: nos fez preguiçosos e improdutivos aos olhos de todo o Brasil. Devemos recorrer ao Supremo a fim de limpar, higienizar a nossa literatura.
Tenho uma ideia: pra fazer valer o estatuto da igualdade racial vamos retirar toda a arte discordante das escolas e do mercado, e usar somente aquilo que está de acordo com o estatuto, façamos a revolução que nem Lênin nem Stálin conseguiram: quem escrever hoje qualquer coisa diferente do estatuto (inclusive na Idade Média, onde já existiam vários movimentos contra a homofobia, o racismo e a misoginia) morre. Paredão sem pena a esses discordantes. Eis a sociedade modelo: os livros serão escritos dentro de um paradigma único, as músicas, as peças de teatro, os filmes, os quadros, de hoje e de ontem, todos refletirão uma sociedade sem preconceitos onde todos somos iguais, lindos, inteligentes, uma sociedade... ariana? Ou platônica? Não se preocupem com o adjetivo, Duda Mendonça terá um imbatível na hora certa, se necessário, até com jingle!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vim ver o Roberto, cara!

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III