Diga-me: o que traz você aqui?


Ser feliz diante do teu claro par de olhos não é mais uma meta, mas a única forma de sobreviver. Estranhos. Teus olhos. Estranhos. Olhando tudo com desconfiança.

Me aconselha a morte? A derrota? O esquecer?
Diga-me: o que traz você aqui?

Não posso ver por ti as borboletas de setembro, não posso sentir por você o cheiro quase incêndio dos jasmins.

Te aviso apenas que esse lado que tomas é o pior lado da estrada.

Sinta comigo: há tanto atalhos, tantas formas de se buscar o sol, por que então insistes sempre em ir por onde queima, por onde ele rouba a vida do verde, onde ele sapeca tudo de um amarelo queimado, amarelo morto, infeliz?

Comentários

  1. Allex,

    Como vai?

    Preciso conversar com você.
    Por favor me diga um telefone em que possamos conversar. Posso te encontrar no 3329-5543 ?!
    Preciso saber da sua disponibilidade para se apresentar em um encerramento de um curso de Literatura: dar alguns autógrafos, divulgar seu trabalho, etc.
    Preciso também saber o valor de um(01) Henrique e de dois(02) Outras Moradas ou dois(02) Urbanos.
    (Usarei como premiação para as maiores pontuações do curso)

    Eu acredito que deve se lembrar de mim, eu sempre me reapresento nos meus e-mails e comentários no seu blog.
    Tiago - Unifacs - 2007.1
    Acho que isso pode resumir as coisas.
    xD

    Bom, estou no aguardo.
    Por favor responda este e-mail com uma certa urgência, pois preciso programar outra coisa, caso não possa participar do encerramento.
    Beijos e mais uma vez eu digo que espero meu convite para o lançamento de Primavera nos Ossos.
    Saudades,
    Tiago Prazeres


    Obs: e-mail enviado para o seu contato da Oi.

    ResponderExcluir
  2. O meu no seu
    e vice-versa.

    Que tal?

    Visite o Universo Bloguístico
    E deixe lá sua dica!

    ResponderExcluir
  3. O meu no seu
    e vice-versa.

    Que tal?

    Visite o Universo Bloguístico
    E deixe lá sua dica!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo6:47 PM

    Queria Álex, vez ou outra eu acabo entando no sue blog p saciar minha fome de palavra. E quão gratificante é saber que elas estão lá prontas p serem comidas por mim. E o melhor e saber q há um banquete, algo delicadíssimo e intenso como só os poetas alcançam!
    Vou me atrever a um pedido, pois sei q vc estuda literatura profundamente e é professora nessa área. Gostaria que vc - por favor, é algo simples, não se esquive - me mandasse uma bibliografia na área da teoria literária. É q estou pensando numa pós, e preciso me preparar p isso. Quero, se possível, saber de autores que se debruçam sobre o plano da linguagem e da construção poética do texto literário. Não sei ao cerot como explicar... vê como vc pode me socorrer. Abraços
    Antônio
    e-mail:lonmattos@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Anônimo6:49 PM

    É lonmattossd@yahoo.com.br, desconsidere o e-mail anterior
    Abraços, Antônio

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte II