Nascer não é muito, às vezes você fecha o livro e a paisagem se espraia. Outras vezes, é preciso abrir o livro a cada manhã.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte II