PALAVRA NÃO É PRESENTE

Minha vida, amor meu, o claro sol do dia, que está um pouco quente, o céu de um azul inacreditável com nuvens esparsas, tudo se torna mensagem nítida para que eu comprove: você é um acontecimento único em minha vida. Agora neste exato momento vou recordando toda nossa história e fico cada diamais apaixonado por você. Como descrever o encantamento que uma paixão pode causar na gente, que muda a nossa vida numa perspectiva inesperada e exclusiva? Não dá, eu sei. Dos gestos, da fala, de cada minúcia que vamos percebendo e descobrindo na pessoa amada, até as idéias políticas, literárias etc; assim quanto mais eu te percebo mais profundamente te amo. O seu sorriso, minha vida, seu cabelo caindo no rosto, quando você vai se soltando e se tornando mais menina e lembra as brincadeiras e frases da infância; é incrível como a vida é simples, não fácil, é verdade, e nós complicamos tudo. Ontem, aqui em casa, eu estava te observando e vendo como somos amigos íntimos, como nos divertimos um com o outro e mesmo quando brigamos, ficamos chateados um com o outro sabemos que ficamos porque damos uma importância imensa a tudo que o outro significa.

Sua presença em minha vida me transformou: minha espiritualidade se tornou mais aguda, meus textos amadureceram, eu amadureci muito, a descoberta total do outro, um trabalho que amo proporcionado por você e tantas outras coisas. Nas questões éticas você me ajudou e ajuda tanto!

O ato de conhecer, que é um ato de amor, eu tenho descoberto em você, na nossa relação cotidiana, na entrega total de um para o outro, aquilo que é inexprimível, por mais poderosa e divina que a palavra seja, então como dizer tudo isso numa simples carta, que é na verdade um humilde presente para o seu aniversário? Palavra não é presente, eu sei. Também sei que você não gosta de comemorar o seu aniversário, e esse será o seu terceiro aniversário que passo contigo. Lembra do primeiro em que não estávamos juntos? Juntos como estamos agora.

Desde o lançamento de Urbanos, eu me lembro claramente daquela noite,você sempre foi para mim uma mulher misteriosa, uma mulher que eu desejava sempre saber mais, e isso foi acontecendo lentamente. Hoje não me vejo sem você, nunca! Hoje você é a minha vida.
Então feliz aniversário, Minha Vida!

Do seu claudicante, João Batista.

Te amo!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vim ver o Roberto, cara!

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III