Uma vez vertigem, sempre problema.
Evitemos.
Visualizamos o céu de manhã bem cedo e despreocupamo-nos: tudo bem, vai dar tudo certo. Não por merecimento ou fé, mas por que, repense, meu bem: há outro jeito de sobreviver?
***
A melancolia. Sim.
O pessimismo. Sim.
A vontade de morrer. Sim.
E se morre?
Não.
E quando morre?
Não adianta: nada.
****
A linha é fina mas não tem tensão que a faça interativa: lá é lá, e cá é cá.
Sem contato, sem palavras.
***
Estás preenchendo o branco apenas por preencher?
É verdade.
Qual cabimento nisto?
Pensei "lilás".
Nada veio.
"Automatic for the people", pensei.
Veio: uma vertigem.
É sempre problema.
Evitemos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vim ver o Roberto, cara!

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III