O tempo é mais rápido que tudo.
Melhor esquecer.
Quanta coisa vai ficando pela metade.
A pior parte da vida é esta: olhar a porra do mosaico lá atrás, brilhando, pirraçando, seduzindo, convidando. Nos iludindo que podemos voltar e refazer.
Ora, refazer!
Podemos coisa alguma. Um cu, uma boceta, o cacete que podemos. Ciência errante: olhar rapidamente pra trás, todo dia, e dar as costas.
De relance.
E seguir em frente.
E não sofrer.
E seguir em frente.
E não congelar os ossos.
E seguir.
E agora, de verdade e seriamente: te esquecer.

Comentários

  1. parabens pelo seu blog! muito bom mesmo! essa questão do tempo me angustia também! sempre penso q não há tempo para refazer as coisas.

    ah, vc jah viu o site da skol beats? aquele dos botõezinhos... tah bem legal: www.invasaobeat.com.br

    abraço

    ResponderExcluir
  2. n demore para colocar outro texto,poemas ou qualquer coisa rs...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vim ver o Roberto, cara!

Entrevista com o poeta João Filho

Série: a difícil-incrível arte de viver - parte III